DICA 3

 

De tudo que já vivenciei como pessoa e profissional, nada deixou mais lições para a minha vida que os momentos de fracasso.

 

O fracasso é encarado por algumas pessoas como algo a ser evitado a qualquer custo e que pode trazer graves consequências para a vida pessoal e profissional, além disso, fracassar traz consigo uma mensagem destrutiva de que você foi incompetente ou que faltou algo a ser feito, mas que tal encarar com maturidade esse momento e buscar outra perspectiva?

 

Tudo depende de como você vai encarar esse momento e quais as lições que você irá espremer da sua dor. E é um processo sofrido, não é? Mas acredite nisso: não é bom fracassar, mas é necessário! Vamos a algumas lições que aprendi e gostaria de compartilhar com você.

 

1. Vale a pena tentar.

"Há mais pessoas que desistem, do que pessoas que fracassam", já dizia o grande Henry Ford; Imagina se você sequer tivesse tentado? Encare esse momento como positivo. Fazer algo é sempre melhor que a inércia da famosa "zona de conforto", portanto, entenda que sempre vale a pena tentar fazer algo novo, empreender, seguir oportunidades. Avalie os riscos. Aprenda com os erros e não os repita.

2. Alinhe suas expectativas.

Alinhar expectativas é dominar a ansiedade e ter uma estimativa precisa dos resultados que você deseja obter. Uma das coisas que aprendi é não esperar que parceiros e fornecedores empreendam a mesma energia que você deve investir no seu projeto. Seja você a locomotiva que impulsiona seus sonhos e não "terceirize" esse papel. Ninguém pode tomar para si essa responsabilidade que não seja você mesmo! 

9. Forme um "time" alinhado aos objetivos do seu negócio

Um dos segredos do sucesso de qualquer empreendedor, na minha opinião, é que ao conceber uma ideia, eles costumam se aliar a quem pode contribuir de alguma forma para que o projeto possa ter sucesso. Cercar-se de pessoas competentes é um bom caminho para crescer. Seja um sócio ou um investidor, o importante é o valor que essas pessoas agregam ao seu negócio, sobretudo, se elas comungam dos objetivos e alinham seus próprios objetivos aos do negócio. Isso seria o casamento perfeito. Seria ótimo ter aquele seu amigo de infância junto com você nesse momento, mas ele realmente poderá lhe ajudar a realizar os objetivos do seu projeto?

 

3. Planeje. Sempre. Não faça nada sem um plano detalhado.

 

Isso é "básico". Planejar. Seja no lançamento de um produto, no desenvolvimento de um novo negócio, na realização de um evento: planeje sempre. Tenha clareza dos objetivos do seu projeto, dos resultados esperados, das metas de curto e médio prazo, dos objetivos a serem alcançados e quais as ações que serão necessárias para realizá-los. Não coloque "o bloco na rua" sem um plano que detalhe desde as responsabilidades dos parceiros até questões estratégicas de marketing, divulgação, logística, tecnologia, etc. Não é bom consertar um avião em pleno vôo, não é verdade? Mas devo advertir para que não perca o "timing"! Alinhe seu plano ao tempo disponível, mas não deixe de planejar!

 

4. Defina os papeis dos envolvidos.

Isso deve fazer parte do seu planejamento, mas quis destacar aqui de forma proposital, para alertar que as pessoas tendem a transferir, procrastinar ou simplesmente ignorar ações que não estejam claras ou que não estejam claramente a elas delegadas. Formalize os papeis e as responsabilidades. Deixe claro o que cada envolvido deve realizar no projeto. Acompanhe o andamento das atividades e estabeleça pontos de controle.

 

5. Avalie riscos. Prepare-se para eles.

Riscos tem grandes chances de tornarem-se problemas e a partir desse ponto, caso não se tenha uma estratégia de resposta, as coisas podem sair do controle e colocar todo um trabalho a perder. Faça uma análise dos riscos do seu projeto. Uma boa análise de riscos pode fazer você seguir outro caminho e até desistir daquele "negócio da China", mas que seria um verdadeiro fiasco. Pense em todas as possibilidades. Faça um "brainstorm" com sua equipe. Levante o que pode dar errado no projeto!

 

6. Não se desespere. Repense. Centralize suas ideias.

 

Mantenha a calma quando as coisas derem errado. Verifique as causas. Assuma as responsabilidades. Elabore ações de contingência. Se o problema envolver um cliente, busque uma solução junto a sua equipe e sobretudo, seja transparente. Nada prejudica mais a imagem de uma empresa que faltar com a verdade num momento de crise. 

 

7. Saiba a hora certa de parar

Conheço empreendedores que mesmo recebendo todos os sinais de que o seu negócio iria fracassar, continuaram investindo e comprometendo seu patrimônio pessoal, levando sua família a falência. É muito importante saber a hora de parar e compreender que é preciso juntar as lições aprendidas até aquele momento e partir para outra iniciativa. Saber a hora de parar de insistir em um negócio é quase tão importante quanto tomar a decisão de empreender. É um processo doloroso, que vai fazer com que você questione suas competências, mas que vai lhe ensinar muito nas próximas iniciativas. Acredite nisso!

8. Coloque toda energia necessária no seu projeto

Ninguém vai realizar seus sonhos por você. Ainda que você consiga engajar seus colaboradores, liderar e motivar as pessoas, ninguém tem o compromisso que você deve ter com o seu projeto ou negócio. Os fornecedores continuarão cobrando suas faturas. Os impostos virão com a precisão de um relógio suíço e os clientes continuarão a exigir cada vez mais qualidade e diferenciação na sua oferta. A responsabilidade por tudo isso é sua, mas fique atento para formar pessoas que possam lhe ajudar de verdade. Ninguém cresce sozinho. Estabelecer relações de parceria com sua equipe, recompensar e reconhecer adequadamente podem ajudar a suportar toda essa pressão. Seja incansável, mas descanse. Afinal de contas, quando você pensou em empreender não era pra ter "mais tempo"? Que ironia, não é? Organize seu tempo e você vai perceber que a "agenda" é seu maior aliado.

 

10. Respeite as pessoas. 

Cumpra os compromissos assumidos com seus parceiros, clientes e colaboradores. Isso não deveria ser mais que a sua obrigação como empreendedor, mas esse tipo de comportamento está cada vez mais difícil no mundo dos negócios. Remunere adequadamente. Considere que seu sucesso apenas será possível se as pessoas que estão ao seu lado crescerem junto com você e tiverem seu devido reconhecimento. Costumo dizer as pessoas que trabalham comigo que "ninguém cresce sozinho". É preciso ter uma postura colaborativa e que integre as pessoas em torno dos objetivos do negócio, mas as pessoas precisam se sentir como uma parte importante e não como meros instrumentos no processo. Quem gosta de trabalhar para um empreendedor que manipula as pessoas em prol dos seus próprios objetivos?

 

Espero que essas 10 lições sirvam para você tanto quanto elas me tem servido até aqui.

 

E você? Já vivenciou algum fracasso? O que isso lhe acrescentou? Qual legado ele deixou em sua vida? Fique à vontade para comentar, compartilhar e curtir essa publicação.

 

Você encontra mais inspiração aqui no nosso site!

Forte abraço.​

 

Emmânuel Lucena

- Artigo publicado originalmente no LinkedIn de Emmânuel Lucena em 19 de Julho de 2016.

 

 

 

Compartilhe no Facebook
Please reload

Produzido por Criativa - Gestão empresaria

Diretos Reservados para © fernandopneus.com.br - 2016